população

Porto Urban Area

Área Urbana

Aprox. 1/5 da população de Portugal em 2,13% do território


O conjunto de freguesias representado na imagem perfaz um total de 2,034 milhões de habitantes, distribuídos numa área de 1.967Km2, resultando numa densidade populacional urbana de 1.034hab/km2. Estes valores representam 1/5 da população de Portugal distribuída por 2,13% do território.

O município do Porto, com menos de 250.000 habitantes, representa pouco mais de 10% da verdadeira concentração urbana onde se insere e da qual é centro. Tal concentração, independentemente do nome que se lhe queira atribuir, está lá, e representa o vasto (à escala europeia, vastíssimo à escala nacional) mercado directo para quem investe em qualquer um dos municípios constituintes.
Porto Noroeste Area

Arco Metropolitano

Aprox. 1/3 da população de Portugal em 4,16% do território


Em torno da área previamente mostrada existe um anel de cidades muito próximas entre si e do próprio centro do Porto, que, em conjunto, forma aquele que é oficiosamente chamado de Noroeste Metropolitano.

A área azul claro, só por si, alberga mais de um milhão de pessoas, e quando junta ao núcleo duro do Porto e respectiva área envolvente, forma um aglomerado de 3,21 milhões de habitantes. Esta é, com efeito, a maior concentração humana de Portugal, na qual reside perto de 1/3 da população de todo o País em apenas 4,16% do território.

Todos os núcleos desta área estão ligados entre si por uma intrincada rede de auto-estradas e por uma vasta rede de comboios urbanos, criando uma rede intermodal que torna prático e económico qualquer movimento de e para qualquer ponto dentro da cidade-região.

O investimento em qualquer ponto do Noroeste Metropolitano terá como público alvo directo a 12ª maior concentração de pessoas da União Europeia. As restantes maiores são, em ordem crescente: Atenas, Frankfurt-Rhine-Main, Roma, Nápoles, Barcelona/Catalunha, Berlim-Branderburgo, Comunidad de Madrid, Milão/Lombardia, Randstad, Paris-Île-de-France e Rhine-Rhur. Facto normalmente ofuscado pelas inúmeras áreas administrativas, metropolitanas, e sub-regionais aqui existentes.
Porto A41 CREP

A Grande Circular

3,21 Milhões de pessoas a 30 minutos de distância


Outra forma de abordar a esfera de influência directa desta área pode ser vista através da auto-estrada circular CREP, ou A41.

Na imagem está desenhada, na íntegra, a A41. A menos de 30 minutos de distância, aquém ou além da linha azul, reside praticamente 1/3 da população de todo o País.

O Eixo Braga-Aveiro é, com efeito, uma metrópole policêntrica, tal como Randstad (Amsterdão-Roterdão-Haia-Utrecht), na Holanda.

O investimento nestas cidades é, por isso, muitíssimo mais precioso do que aparenta quando olhamos isoladamente para os pequenos municípios que as representam.

Em toda a União Europeia, apenas 11 pontos têm mais gente a 45 minutos de distância do que a Rotunda da Boavista.
Porto VS Madrid

PORTO VS MADRID

Mercado equivalente a metade do da Comunidad de Madrid



X

Porto & Noroeste

Com. de Madrid

População

3,21M

6,43M

Área

3.844km2

8.046Km2

Densidade

835

804

-

A título de exemplo, para que haja alguma referência, podemos comparar o Noroeste Metropolitano à Comunidad de Madrid. Em números redondos, o Noroeste comporta metade da população, metade da área, e apresenta, por isso, a mesma densidade (a qual, por ser equivalente, nos permite comparar as duas regiões humanas sob os mesmos parâmetros, e evidencia que um mercado representa metade do do outro).

Uma vez mais, as cidades do Noroeste fora do Porto são tão favoráveis ao investimento quanto o próprio Porto. Braga e Aveiro não estão na sombra da Invicta - formam, antes, em conjunto com esta primeira - um verdadeiro Cerberus Atlântico.

Afinal, quando juntas, mesmo com as áreas rurais que as permeiam, formam uma densidade que praticamente toca nos urbanos 1000 habitantes por quilómetro quadrado. Ao longo deste planeta, muitas são as áreas metropolitanas oficiais com densidades inferiores - Madrid é uma delas. Quando se fala em investimento de qualquer ordem, não devemos dissociar Aveiro, Braga e Porto - três elos fortíssimos da mesma corrente, e com um público alvo que, caso tenhamos em consideração os Comboios Urbanos, é igual entre elas, uma vez que as três estão ligadas entre si. O policentrismo é o futuro - Holanda e Alemanha são disso a prova.

localização

Porto Península Ibérica
A imagem da esquerda representa a faixa atlântica da Península Ibérica e respectiva distribuição populacional. A da direita, colocada para complementar a primeira, mostra a poluição luminosa emitida pelos centros urbanos da Península Ibérica, quando vistos do Espaço. Este tipo de imagem não olha a limites municipais, metropolitanos ou regionais impostos oficialmente, que mudam consoante o País ou Região e respectivos interesses ou critérios políticos. A realidade é mostrada sem filtros, e é essa realidade a mais relevante quando o assunto é investimento.

Epicentro do Eixo Corunha-Setúbal

14 Milhões de pessoas a 3 horas de distância


Para além do Noroeste Metropolitano, vemos também, bem evidenciada, a alta densidade humana do Eixo Corunha-Setúbal. Esta concentra 13 milhões de pessoas numa área substancialmente mais pequena do que Portugal.

O Noroeste Metropolitano, além de ser, entre as demais concentrações, a mais populosa, situa-se ainda no centro do eixo, o que lhe confere uma imensa área de influência directa e indirecta.

Esta área está para a Faixa Atlântica como a Comunidad de Madrid está para a Península Ibérica. Ao Porto estão, deste modo, associadas as vantagens da centralidade e os predicados intrínsecos à proximidade do mar - uma combinação muito favorável a qualquer tipo de investimento, e que em certa medida nunca foi aproveitada ao máximo, em grande parte por omissão (ou pouca promoção) do facto aqui apresentado.
Número de pessoas (em milhões) a determinadas distâncias do centro das duas metrópoles, de carro.


Porto

Madrid

30 minutos

3,21

5,9

45 minutos

3,6

6,4

3 horas

14

13

6 horas

25

40

-

Ainda que a 6 horas de distância de Madrid se encontre toda a população da Península Ibérica e, ainda, Bordéus, em França, a 3 horas de distância esta é de 13 milhões.

Tendo em consideração que para distâncias equivalentes a 6 horas de carro já é mais usado o avião do que o carro, é de sublinhar o facto de que na marca das 3 horas de distância (onde é mais usado o carro do que o avião) o Porto seja, entre as duas, a cidade com mais população à volta.

Um dado que já transcende o Porto, per si, mas que é, porventura, o mais importante dos dados para todos os que equacionem criar um Hub Ibérico de qualquer ordem.

Em comparação directa com Madrid, o Porto tem mais população a 3 horas de distância, e a presença do mar. Por ser menos conhecida, é, ainda, uma metrópole com um mercado menos saturado, e que em influência directa suplanta a marca dos 3 milhões.
Porto Mundo

Ainda que à escala europeia a localização do Porto possa ser designada de periférica, à escala mundial não só não o é, como é bastante central. A cidade é praticamente equidistante entre Nova Iorque e Moscovo, a Califórnia e a China, o Brasil e a Noruega, entre o Canadá e a Índia, e é, também, central nas rotas marítimas Hemisfério Norte - Hemisfério Sul e Europa do Norte - Mediterrâneo.

Posição Estratégica no Mundo

Equidistância entre importantes centros e rotas


Em termos geográficos o Porto está para o eixo América-Ásia como Frankfurt está para o Eixo Europa, sendo, deste modo, uma excelente porta de entrada e saída do Velho Continente.

Para complementar a posição estratégica no globo, o Porto de Leixões e Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro são, reconhecidamente, duas infra-estruturas de topo mundial, e dotam a cidade de condições para cobrir qualquer demanda, quer em quantidade quer em qualidade.

As vantagens para o investimento associadas a este facto são diversas. Seja na perspectiva de quem importa e exporta à escala global, seja na perspectiva de quem viaja para os quatro cantos do mundo, ou mesmo, até, na perspectiva de quem pretender captar investimento ou público a Nascente e a Poente. A centralidade é, invariavelmente, uma vantagem. Frankfurt e Atlanta, colossos aeroportuários, são disso a prova.

O Porto, um verdadeiro diamante em bruto à espera de ser (ainda mais) polido, é uma oportunidade alternativa para os pioneiros que nele decidirem investir em força.

riqueza

Porto Salários

O ordenado médio do Porto é de aproximadamente 1.325€, o de Londres, de 3.900€, e o de Oslo, de 5.100€. Sem mais dados na equação, a discrepância é muito grande, mas é necessário que nos lembremos de que o dinheiro é, em essência, virtual. O valor do dinheiro não reside no número que antecede a moeda, mas o que este permite às populações adquirir no seu dia-a-dia.

Salários baixos?

Um dos maiores poderes de compra relativos da Europa


Para exemplificar, o metro quadrado de um apartamento médio (em dimensão e classe) no Porto é de aproximadamente 1.900€, em Oslo é de 8.100€. Um litro de leite ou um café expresso no Porto rondam os 0.50€, em Oslo aproximam-se dos 2€. Toda uma panóplia de valores poderiam ser mostrados, evidenciando que a discrepância entre ordenados é ultrapassada pela discrepância do custo de vida, dotando o Porto de um maior poder de compra relativo.

E quando equacionamos o dia-a-dia de numa cidade, apenas o poder de compra relativo interessa. Porquê?

Porque se a título de exemplo, multiplicássemos por 1000 os valores do Porto, obteríamos ordenados médios de 1,3M€, metros quadrados de habitação a custar 1,9M€, e cafés expresso a custar 500€. O resultado passaria por ordenados que, no papel, pareceriam extremos, mas que, em essência, desaguariam numa realidade exactamente igual. No fundo, isto traduzir-se-ia, somente, numa redução do valor do Euro em 1000 vezes - nada mais. As discrepâncias de salários, quando não acompanhadas por custos de vida favoráveis, são, somente, inflação.

Quando colocamos essa inflação na equação, o habitante médio do Porto tem um poder de compra muito considerável face à realidade do Primeiro Mundo, e é rico face à realidade mundial. A única circunstância em que o habitante de Oslo é (muito) mais rico do que o habitante do Porto, é quando este sai da Noruega. E se sair da Noruega 365 dias por ano, deixa de ser um habitante de Oslo...

Cidade

Salário

Custo de Vida

Poder de Compra Relativo




Porto

100%

100%

100%

Londres

294%

306%

96,1%

Oslo

385%

391%

98,5%

-

Independentemente de quaisquer salários, a população de uma cidade com maior Poder de Compra Relativo pode, sem excepção, obter mais bens no dia-a-dia, sendo, por isso, objectivamente mais rica.

Esta realidade, acima de tudo favorável à população, é igualmente boa para o investimento por dois motivos:

- O custo de arrendamento de real estate e gastos com recursos humanos baixa significativamente (não representando este segundo exploração, mas sendo, somente, uma natural consequência de um menor custo de vida).

- O poder de compra acrescido da população permite-lhe uma mais fácil aquisição de bens supérfluos, havendo espaço de manobra, por parte das empresas, para um maior número de vendas, independentemente do sector.

Estes factos são, sobretudo, bons para jovens empresários que queiram um excelente ponto de partida nos negócios. E são, curiosamente, estes jovens empresários, e não tanto as grandes e estabelecidas empresas, os portadores do Futuro. Semelhante futuro promissor, pode começar aqui - uma cidade rica que fará de vocês ricos!

perfil

Porto População Jovem

População Jovem

Cerca de 86% da população do Noroeste Metropolitano (ou 2,75M) tem menos de 65 anos


Num Continente envelhecido e com uma taxa de natalidade muito baixa, onde, na melhor das hipóteses, a população aumenta graças à imigração, torna-se relevante quando uma cidade ou região consegue manter um saldo natural positivo, e este é tanto mais possível quanto mais jovem for a população.

No mapa, retirado directamente do Instituto Nacional de Estatística, podemos ver que as duas metrópoles portuguesas contrariam a tendência europeia, e se nos focarmos no Porto & Noroeste, semelhante facto é ainda mais evidente.

Nos municípios representados a branco, a proporção de pessoas com mais de 65 anos é, no máximo, de 14,1%. E o Noroeste, por um todo, está representado a branco.

Braga, uma vez mais, merece um especial destaque, pois é, de todas as capitais de distrito, a mais jovem.

Adesão à Cultura

Mais de 12 mil bilhetes vendidos por cada 1000 habitantes


Por cada 1000 habitantes são vendidos, anualmente, 8.380 bilhetes. Esta média é feita com base na totalidade da população, incluindo pessoas em lares de idade e bebés recém-nascidos. Se esta tiver em consideração, somente, a população activa, ultrapassa os 12 mil bilhetes por mil pessoas.

Significa isto que, em média, todos os indivíduos, sem excepção, assistem a um teatro ou concerto mais do que uma vez por mês. Uma das médias mais altas da Europa, e consequentemente do Mundo. Para todos os agentes culturais e criadores de eventos, fica deste modo à vista o cocktail cultural que o Porto representa - por um lado, um número muito grande de pessoas, e por outro, uma adesão média muito grande por indivíduo.
Porto Salários

O caso F1h2o


Segundo a organização do F1H2O, a adesão à etapa de 2014 no rio Douro foi a maior de sempre na história do evento até à data, independentemente do ano ou localização.

Tendo em conta que este evento já se realizou em núcleos maiores como Xangai, China, e núcleos mais pequenos como Doha, Qatar, podemos constatar que a adesão absoluta a um evento não se prende tanto com a dimensão da população do local onde este decorre, mas da natural predisposição que um determinado local tem para aderir à cultura e ao comércio. O Porto alia dimensão à tal predisposição para aderir àquilo que acontece, e o F1H2O é a prova disso mesmo.
Porto Salários

o caso red bull air race


No seu apogeu, a audiência no local da corrida ultrapassou os 850 mil espectadores, e na Foz, onde foi instalado o aeródromo aberto, esta aproximou-se dos 200 mil. O valor de mais de um milhão de pessoas em simultâneo fica, deste modo, registado como a adesão potencial para qualquer outro evento ou conjunto de eventos. O mercado potencial está lá, e há, dele, um registo. São sete, os dígitos que o perfazem.
Porto Salários

o caso iberanime


Quando a Iberanime se realizou em Gondomar e em Lisboa, o público registado foi maior em Gondomar, algo que deixou a organização do evento admirada - afinal, como pode Gondomar suplantar Lisboa? Sozinha, não pode. Este caso é, porém, mais um exemplo de que em termos concretos os limites municipais e metropolitanos não são muralhas intransponíveis, e que em última instância, para efeitos de investimento, deve ser considerada, somente, a mancha populacional em questão. No caso de Portugal, quando não olhamos às muralhas virtuais que são os limites administrativos dos municípios, sub-regiões ou regiões (muitas vezes criadas com outros interesses subjacentes), as duas verdadeiras manchas populacionais de grande porte são o Noroeste Metropolitano e o Vale do Tejo.

Quando se investe, a título de exemplo, em Gondomar, está, na verdade, a investir-se no Noroeste Metropolitano, e ainda que Gondomar não suplante Lisboa, este segundo suplanta o Vale do Tejo. O maior público na edição de Gondomar surge, deste modo, sem qualquer surpresa. E de tão não surpreendente que é, não é caso único. Qualquer município do Noroeste Metropolitano é, deste modo, excelente para todo aquele ou aquela que queira garantir grandes massas de público. Afinal, apenas 11 metrópoles em toda a União Europeia suplantam, em quantidade, o número de pessoas aqui existente.

diversidade

Porto Diversidade

Poker de Ases



Os britânicos têm um termo para caracterizar alguém que é bom a tudo - ainda que não excepcional a nada - Jack of All Trades, Master of None.

Com base na expressão inglesa e com a noção de que de Jack o Porto nada tem, podemos constatar, ao olhar para a imagem, que a cidade se assemelha mais a uma Queen of All Trades - Master of Some.

Esta diversidade, mais do que a espampanância de cada cenário individual é o que faz, em última instância, do Porto uma cidade cativante. Quem aqui vem sabe ter tudo à mão, e por isso aqui fica ou aqui volta.

Quem aqui investe, por isso, tem na sua esfera de influência uma comunidade cada vez maior e cada vez mais cosmopolita - ainda não estamos ao nível das metrópoles mais estabelecidas da Terra, mas para lá caminhamos a largos passos.

E é este 'furo a baixo' face às referidas metrópoles, curiosamente, o principal ponto a favor para quem aqui quiser investir. Certos centros que através dos tempos se transformaram em epicentros, e que por isso atingiram o topo, vivem, hoje, uma certa estagnação. Metróples em franca ascensão e com enorme potencial (grupo onde o Porto se enquadra) são, por esse motivo, os melhores pontos do planeta para se investir, pois é nelas que facilmente se planta X1 e se colhe X10.

clima empresarial

Porto Salários

Atmosfera Empresarial Favorável



Existe um Princípio muito patente na ideologia do tecido populacional portuense - é o de que, "não podendo o sector público acomodar toda a população activa, o desemprego só pode ser reduzido com a existência de um sector privado forte - mais empresas, mais empregos - melhores condições para as empresas - melhores salários. No fim, empresas e pessoas mais ricas resultam num Estado mais rico (via impostos), que, por sua vez, pode adereçar com mais facilidade todas as questões sociais fundamentais para o País e respectiva população".

É com base neste pressuposto pragmático com pés acentes numa Esquerda que não demoniza os empresários, e com alicerces num espírito altruísta que já vem desde um passado longínquo, que se gera um paradigma simples, mas eficaz: Quanto mais forte é a comunidade, mais fácil é para a comunidade de se tornar ainda mais forte.

Gera-se, deste modo, a noção de que é do interesse de todos o espírito de entreajuda com todos os outros, e resulta, daí, uma comunidade altamente empreendedora com fortes relações internacionais.

Este espírito, não só cria uma atmosfera favorável a todos os que investem na Região, como dota a própria Região de infra-estruturas que ajudam a que essa mesma atmosfera se mantenha favorável por tempo indeterminado - uma espécie de ecossistema cosmopolita e empreendedor que já fez pessoas não portuguesas denominar o Porto de Silicon Valley europeia - um título que, sendo meramente oficioso e até exagerado, diz muito do quão favorável é a atmosfera empresarial na cidade.

De resto, foi considerada pelo Financial Times como a 3ª melhor cidade para se investir no Sul da Europa, e como o 31º melhor destino de negócios do planeta, pela International Congress and Convention Association. A Tripadvisor ainda a considerou o 1º destino emergente da Europa e o 3º emergente do Mundo, o que reforça a ideia de que investir no Porto neste momento é excelente!

Infra-estruturas de relevo dentro do sector empresarial




⚫ AEP - Associação Empresarial de Portugal
⚫ ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários
⚫ Alfândega - Considerado o melhor Centro de Congressos da Europa por 2 anos consecutivos
⚫ Exponor - a maior Feira Internacional de Negócios de Portugal
⚫ Europarque - a segunda maior Feira Internacional de Negócios de Portugal
⚫ Zona Industrial da Maia - a segunda maior da Península Ibérica, atrás da de Barcelona
⚫ Várias zonas industriais, a totalizar mais do que vinte e um milhões de metros quadrados
⚫ Vários bairros tecnológicos - áreas dedicadas ao sector quaternário
⚫ Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia - Principal Instituto de Nanotecnologia da Península Ibérica (Braga)
⚫ Fraunhofer Portugal - o segundo maior instituto de Nanotecnologia da Península Ibérica
⚫ Grandes incubadoras para startups
⚫ Porto de Leixões - Infra-estrutura absoluta mais representativa do comércio internacional português
⚫ Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro - 3º melhor aeroporto da Europa
⚫ Porto Business School - Uma das mais conceituadas Business School do Mundo
⚫ Católica Porto || Business School
⚫ 80 Hotéis de Luxo
porto-numeros
Pila